Número total de visualizações de página

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Usurpação

Usurpação

A coroa que usas
Nem sequer te pertence
Não é tua por
Direito próprio

O trono que ocupas
Também não é teu
A espada que empunhas
Não conhece a tua mão

A vida que vives
Não é a tua
O sorriso que finges
Não disfarça nada

O chão que pisas
Tem outro dono
O lar em que habitas
A quem o roubaste?

As roupas que vestes
São do teu vizinho
As mentiras que dizes
Foram por outros inventadas

As verdades que escondes
Quando as revelarás?

N. Afonso, 16.01.2013


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Poema incógnito

Poema incógnito

Num pedaço de papel
Tão branco e fino
Como a água transparente

Nele escrevi um poema
Era breve e ousado
De negro mascarado

Não sei para quem o escrevi
O que pensava nesse momento
Quem o leu depois de mim
Ou se alguém o guardou no pensamento

N. Afonso, 16.01.2013